Poupança na pandemia: um hábito que vai perdurar?

Recentemente, foi publicado o Guia de Economia Comportamental (The Behavioral Economics Guide) 2021, que trouxe inúmeros artigos e reflexões sobre temas ligados ao assunto. Um dos temas tratados nessa edição do guia foi a mudança de hábitos financeiros pelos consumidores durante a pandemia (poupança, uso de dinheiro e online-banking). Um dos artigos questionou se alguns “novos hábitos” relacionados ao uso desses três comportamentos financeiros iriam perdurar no mundo pós pandemia. Continue lendo…

Há relação entre o conhecimento financeiro e a formação de reserva de emergência?

No mês passado foi comemorado o dia mundial da poupança. A CVM tem como uma de suas atribuições o incentivo à formação de poupança e aplicação em valores mobiliários (de acordo com a Lei nº 6.385, de 7 de dezembro de 1976, art. 4º, inciso I). A poupança de consumidores pode influenciar tanto o crescimento micro como o macro econômico, uma vez que desempenha um papel fundamental no acúmulo de riquezas, segundo Babiarz e Robb (2013).

As pessoas com menor grau de educação financeira estão mais propensas a cometer erros ao tomar decisões financeiras, o que pode impactar não só o indivíduo, mas também o plano macrossocial. Para investir, ainda mais em casos de pouca experiência, é imprescindível que o investidor esteja munido das informações necessárias e acompanhe o mercado, de forma a fazer um investimento consciente e bem informado, buscando orientação de profissionais e um processo contínuo de educação financeira – instrumento de grande valor para o estímulo da poupança e do planejamento financeiro. Continue lendo…

Relatório “Educação financeira para além do conhecimento: estratégias de intervenção no comportamento de poupança”

O centro de estudos comportamentais e pesquisa da CVM (CECOP/CVM) publica o relatório “Educação financeira para além do conhecimento: estratégias de intervenção no comportamento de poupança”. O estudo representa o esforço da CVM para compreender os vieses e barreiras que podem afetar comportamentos financeiros, notadamente aqueles relativos à poupança, por meio de revisão bibliográfica. Também são descritas as intervenções encontradas na literatura científica que trabalharam com conceitos de ciências comportamentais para incentivar a formação de poupança e a tomada de decisões financeiras conscientes.

O relatório integra o projeto homônimo, o qual compreende a elaboração e validação de um ou mais produtos/materiais educacionais destinados à população de renda intermediária com potencial de poupança. Os produtos finais do projeto objetivarão estimular e apoiar a formação de reservas financeiras, assim como a promoção de decisões de investimento conscientes e bem informadas. O projeto também se caracteriza pela ampla utilização de “insights” provenientes das ciências comportamentais, sobretudo da psicologia, para que se busque uma efetiva mudança de comportamento financeiro dos usuários dos produtos educacionais a serem elaborados. Continue lendo…

Poupadores Anônimos: Grupos de Apoio Podem nos Ajudar a Poupar?

Segundo um estudo do National Bureau of Economic Research (NBER), grupos de ajuda podem ser ferramentas poderosas para nos ajudar a poupar, especialmente nos casos em que um pequeno esforço é capaz de provocar grande impacto, como no caso da formação de uma reserva de emergência.

O estudo descreve dois experimentos aleatorizados realizados no Chile com uma amostra de 2.687 microempreendedores entre 2008 e 2009. Os resultados mostram que os grupos são eficazes mesmo sem a presença de alguns de seus elementos característicos, como encontros presenciais e padrinhos, sendo suficiente apenas o apoio mútuo.

Continue lendo…

Endividamento: há luz no fim do túnel?

De acordo com a última Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, realizada em maio deste ano, 58,7% dos consumidores entrevistados se consideram endividados; 23,7% declaram ter dívidas em atraso e 9% acham que não conseguirão pagar suas dívidas.

Nos países desenvolvidos, a história é a mesma. Uma recente série de artigos, denominada “United States of Debt” (Estados Unidos da Dívida), explora as razões para o endividamento entre os americanos, entrevistando diferentes tipos de endividados e de especialistas para entender o que é possível fazer a respeito.

Continue lendo…

CVM Utiliza Redes Sociais para Estimular o Hábito de Poupar

Nesta segunda-feira, dia 22 de junho, durante a cerimônia de premiação do 2º Concurso Cultural de Redação e Vídeo, será lançado o 1º Concurso Cultural CVM – Poupança e Investimento, com o tema “Meu Pé de Meia”, cujo regulamento está disponível no Portal do Investidor.

O objetivo é chamar atenção para a importância de poupar e assim contribuir para a mudança de comportamento do brasileiro em relação às suas decisões de consumo, poupança e investimento.

De 1º de julho a 30 de setembro, os interessados em participar poderão enviar à CVM posts e vídeos contendo histórias reais ou ficcionais sobre o uso do dinheiro, a importância de formar reservas financeiras para realizar objetivos de vida ou outros assuntos que levem à reflexão sobre o tema.

Cada participante poderá concorrer com até 5 vídeos e 5 posts, bastando enviá-los (juntamente com seu nome completo, e-mail e idade) por mensagem inbox  na página da CVM Educacional no Facebook. Se o autor for menor de idade, o nome do responsável também deverá ser enviado.

Os 3 vídeos e 3 posts que receberem o maior número de curtidas e compartilhamentos até 10/10/2015 serão classificados para a etapa final, na qual uma Comissão Julgadora selecionará o melhor trabalho de cada categoria: post e vídeo.

Os 2 vencedores serão premiados com um iPad cada, em cerimônia realizada no Rio de Janeiro, no dia 30 de outubro – uma iniciativa em comemoração ao Dia Mundial da Poupança, festejado anualmente no dia 31 de outubro.

A ideia é deixar um pouco de lado a linguagem técnica do mercado financeiro e fazer o público das redes sociais pensar sobre o tema de forma leve, descontraída, cômica, inovadora ou até mesmo inusitada, gerando identificação com as situações apresentadas e sensibilizando a população para a importância de formar um “pé de meia”.