Há diferença no comportamento financeiro entre homens e mulheres?

Historicamente, as mulheres tiveram sua inserção tardia no mercado de trabalho, quando comparadas aos homens e, por isso, não é incomum ver que questões financeiras impactam de forma diferente homens e mulheres. Uma análise das diferenças de comportamento relativo à poupança entre os gêneros, no Estados Unidos, conclui que mulheres normalmente possuem menos dinheiro guardado que homens (Fisher, 2010).

A renda acumulada das mulheres pode ser menor pois passam mais tempo aposentadas, graças a sua expectativa de vida mais elevada. Além disso, como o salário e normalmente o tempo de trabalho são menores (relacionados com cuidado do lar e da família), consequentemente a quantia guardada pode ser inferior também.

Estudo realizado nos EUA (MOTTOLA, 2013) conclui que mulheres têm comportamentos em relação a cartão de crédito mais custosos que homens, mas a maioria dessa diferença depende de outros fatores como características demográficas, circunstâncias econômicas e nível de letramento financeiro. Isso demonstra que se fossem comparados homens e mulheres nas mesmas condições demográficas, provavelmente as diferenças não seriam muito significativas.

Pesquisa similar (THEODOS et al, 2014) revelou que mulheres se arriscam menos, têm mais cartões de crédito (provavelmente por conta de cartões de loja), mas que não há diferença no pagamento da fatura, reserva de emergência, de aposentadoria ou da satisfação financeira quando comparadas com seus pares. Entre as pessoas não casadas, mulheres tendem a pagar a fatura do cartão incompleta com mais frequência que os homens, mas de forma a corroborar o exposto acima, a maior parte deste grupo de mulheres compartilhava uma característica, ausente na maioria dos homens solteiros: o fato de possuírem filhos dependentes.

Os autores afirmam essas mulheres têm mais dificuldade em cobrir seus gastos e se tornam um grupo vulnerável por enfrentarem desafios financeiros como cuidar e sustentar financeiramente seus filhos. Theodos et al (2014), porém, ressaltam que, apesar de atestarem que o conhecimento financeiro das mulheres é inferior ao dos homens, isso não se traduz em piores comportamentos financeiros.

O que você, leitor ou leitora, acha sobre isso?

Referências
FISHER, P. J. Gender Differences in Personal Saving Behaviors. Journal of Financial Counseling and Planning Volume 21, Issue 1. 2010.

MOTTOLA, G. R. In Our Best Interest: Women, Financial Literacy, and Credit Card Behavior,” Numeracy: Vol. 6: Iss. 2, Article 4, 2013.

THEODOS, B., KALISH, E., MCKERNAN, S.-M., RATCLIFFE, C. “Do Financial Knowledge, Behavior, and Well-Being Differ by Gender?” Washington, DC: Urban Institute, 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *