Como investidores se comportam em cenários de queda do mercado?

Vieses comportamentais são erros de percepção, avaliação ou julgamento, que escapam à racionalidade, e ocorrem de forma sistemática e previsível, em determinadas circunstâncias, no processo decisório. Ocorrem devido às heurísticas, ou atalhos mentais, que funcionam como regras de bolso que agilizam e simplificam a percepção e a avaliação das informações que recebemos. Embora simplifiquem as decisões, podem trazer riscos.

Aversão à perda é um viés comportamental que nos faz atribuir, na tomada de decisões, um peso maior às perdas do que aos ganhos, porque normalmente a dor da perda é sentida com muito mais intensidade (em média duas vezes mais) do que o prazer do ganho. Esse comportamento pode nos induzir a correr mais riscos na tentativa de reparar eventuais prejuízos.

Uma pesquisa realizada em 2018 pela FINRA[i], regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos, ilustrou como esse viés age. Em uma pergunta, buscaram avaliar a reação dos investidores à queda no mercado de ações que ocorreu no início de 2018. Apenas 7% dos cerca de 2 mil entrevistados disseram que venderam seus investimentos em ações como resposta à queda. A maioria (68%) relatou nenhuma ação tomada, e 22% informaram que compraram ações após a queda.

Como se pode observar, a maioria dos investidores optou por manter seus investimentos. Boa parte deles pode ter tomado essa decisão apenas para não realizar prejuízos, e evitar a dor da perda, com a esperança de o mercado se recuperar enquanto viam o preço de suas ações caírem. Esse exemplo pode representar uma manifestação da aversão à perda, quando o investidor mantém uma posição em um ativo apenas para não sentir a dor psicológica gerada pela realização do prejuízo[ii].

O mesmo estudo revelou que os homens são mais propensos que as mulheres a relatar que compraram ações em resposta à queda do mercado, embora ambos os sexos tenham a mesma probabilidade de ter vendido. Os entrevistados com 55 anos ou mais têm menos probabilidade que os mais jovens de ter feito alterações em seu portfólio em resposta à queda. Outras pesquisas já demonstraram que homens e pessoas mais jovens tendem a correr mais risco.

De forma prospectiva, apenas 9% dos entrevistados na pesquisa da FINRA disseram que venderiam ações se o mercado caísse 20% repentinamente. Muitos deles (44%) não mudariam seus investimentos e quase um terço dos participantes (31%) compraria ações. Quinze por cento não sabem o que fariam.

Os investidores que se sentem confortáveis ​​em assumir riscos acima da média ou mais têm mais probabilidade do que os que se sentem menos confortáveis com o risco ​​em dizer que comprariam (46% contra 23%) e venderiam (15% contra 5%) no caso de uma queda do mercado de ações.

Projetar comportamentos futuros nem sempre é fácil ou confiável. Na hora da decisão, pensar nas possibilidades nos momentos “quentes”, ou seja, quando estamos sob forte emoção (euforia, medo, pânico) pode nos levar a más decisões. O ideal é se planejar. Uma alternativa é definir estratégias para limitar perdas, como as ordens Stop-Loss, por exemplo. Dessa forma, define-se o prejuízo máximo aceitável, de forma a evitar perder mais dinheiro.

Todo investimento traz riscos, por menor que seja. O importante é que os riscos assumidos sejam calculados e refletidos, de forma a corresponder a estratégias definidas previamente pelos investidores, evitando, assim, ações guiadas por vieses. E você, leitor, já passou por uma situação semelhante? O que fez na ocasião?

Conte-nos nos comentários!

[i] Referência

FINRA Investor Education Foundation. Investors in the United States: A Report of the National Financial Capability Study. December 2019. Disponível em < https://www.finrafoundation.org/files/investors-united-states-report-2019>. Acesso em 16 de julho de 2021.

[ii] Esse comportamento também se relaciona com outro viés, chamado “falácia dos custos irrecuperáveis”, sobre o qual você pode ler mais aqui.

 

2 thoughts on “Como investidores se comportam em cenários de queda do mercado?”

  1. Muito útil as informações sobre os riscos no mercado acionário. Sugiro que haja mais divulgação desse conteúdo em jornais de grande circulação. Já sou investidor em corretoras, porém não conhecia esse site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *