Tag Archives: Psicologia Econômica

CVM Comportamental Vol. 3 – Vieses do Consumidor: Ilusão de Controle

Ilusão de controle (Illusion of control, em inglês) consiste em acreditar na própria capacidade de afetar eventos futuros, ainda que não se possua qualquer controle sobre eles.

Os pesquisadores Amos Tversky, Daniel Kahneman e David Hirshelifer afirmam que este viés pode ter origem nas necessidades humanas de conforto, segurança, proteção da autoestima e bem-estar emocional.

Continue lendo

Escolher o Momento Certo é Essencial no Nudge: Entrevista com a Drª Cäzilia Loibl

A Doutora Cäzilia Loibl é professora associada do Departamento de Ciências Humanas na Ohio State University e planejadora financeira certificada (CFP®). Ela já publicou trabalhos sobre Políticas Públicas, Economia Comportamental e Preferência do Consumidor e o foco de sua pesquisa é examinar as decisões financeiras ao longo da vida adulta.
Sua palestra na 4ª Conferência de Ciências Comportamentais e Educação do Investidor¹ foi intitulada Estimulando Famílias de Baixa Renda a Pouparem Regularmente, na qual explicou o que são “nudges”, descreveu seus principais tipos e discutiu alguns achados de suas pesquisas a respeito desse tipo de intervenção comportamental.
Apresentamos a entrevista exclusiva da Drª Loibl ao CVM Comportamental, assim como o link para sua palestra.

Continue lendo

CVM Comportamental Vol. 3 – Vieses do Consumidor: Efeito Halo

O Efeito Halo (halo effect, em inglês) é um viés cognitivo em que nossas primeiras impressões sobre determinadas características de uma pessoa influenciam nosso julgamento sobre outras características não necessariamente relacionadas.

Por exemplo, uma pessoa gentil pode nos parecer mais bela do que pareceria se fosse rude. É um atalho mental (heurística) que nosso cérebro utiliza para definir alguém em sua totalidade baseado em poucas informações disponíveis.

Continue lendo

As Intervenções Precisam Ser Personalizadas: Entrevista com o Dr. Werner DeBondt

O Dr. DeBondt é um dos pioneiros no campo das Finanças Comportamentais. É também Diretor e fundador da Richard H. Driehaus Center for Behavioral Finance na DePaul University, em Chicago, Estados Unidos.

Foi palestrante principal (keynote speaker) na 4ª Conferência de Ciências Comportamentais e Educação do Investidor¹, onde falou sobre Psicologia da Regulação.

Apresentamos a entrevista exclusiva que o Dr. DeBondt concedeu ao CVM Comportamental, assim como o link para sua palestra.

Continue lendo

Como Ajudar os Pobres a Pouparem um Pouco?

Pesquisadores da Universidade de Duke e do Banco Mundial realizaram um experimento no Quênia¹, entre 2013 e 2014, com o intuito de compreender que tipos de intervenções são mais eficazes, e menos dispendiosas, para ajudar a aumentar a taxa de poupança dos países mais pobres.

Eles testaram dois tipos de intervenções psicológicas, avaliando sua eficácia e comparando-as com incentivos financeiros, e concluíram que as intervenções foram não só mais eficazes como mais baratas do que os incentivos. Além disso, constataram que o envio regular de lembretes para poupar, assim como dos saldos em conta, aumentou a média de poupança em 100%.

Continue lendo

4ª Conferência de Ciências Comportamentais e Educação do Investidor

Além dos habituais temas relacionados à educação do investidor e aos estudos comportamentais, os eventos da semana de 5 a 9 de dezembro deste ano tratarão também de novas tecnologias financeiras – conhecidas como Fintech – e incluem a comemoração dos 40 anos da Lei nº 6385/76, que criou a CVM.

Os eventos deste ano contam com a participação de renomados pesquisadores nacionais e internacionais, representantes de órgãos reguladores e autorreguladores, empresas e profissionais do mercado com atuação educacional relevante

Os encontros proporcionarão uma abordagem multidisciplinar, abrangendo campos da Psicologia, Economia, Antropologia e Educação, entre outros, assim como o debate sobre estratégias e políticas públicas inovadoras na área da educação financeira.

A programação deste ano está mais intensa, ocupando uma semana inteira, e compreenderá os seguintes eventos:

  • 2ª – Fintech Day
  • 3ª – Seminário de Pesquisas em Educação Financeira e Comportamento
  • 4ª (manhã) – 40º Aniversário da Comissão de Valores Mobiliários
  • 4ª (tarde) e 5ª – Conferência de Ciências Comportamentais e Educação do Investidor
  • 6ª – Seminário Regional sobre Novas Tendências em Educação Financeira

O programa completo, com os temas dos painéis e seus componentes, está disponível no site http://www.iecbrazil.com.br/, por meio do qual deve ser feita a inscrição do participante, indispensável para a entrada no evento.

Entre as novidades deste ano, além do Fintech Day, está o Seminário sobre pesquisas em Educação Financeira, como espaço para discussão mais aprofundada do tema, e a inclusão de um painel sobre Antropologia das Finanças na Conferência, que contará com a presença de autoridades mundiais em Antropologia do Dinheiro e das Finanças, como o Dr. Bill Maurer.

As palestras terão temas como “Nudges no Mercado Financeiro”, “Estimulando Famílias de Baixa Renda a Poupar Regularmente”, “Como a Publicidade Contribui para o Processo Decisório de Investimentos” e “Como os Reguladores de Valores Mobiliários dos Estados Unidos estão Direcionando os Investidores Vulneráveis”, entre vários outros.

O Dr. Werner DeBondt falará sobre a Psicologia da Regulação e um painel discutirá de que modo seria possível assegurar a adequação da recomendação de investimentos.

Será discutida a educação de investidores dos Estados Unidos, Canadá, Indonésia, Itália e Espanha, além de apresentado em mais detalhes – pela Drª Annamaria Lusardi – o resultado do estudo americano de capacidade financeira, já comentado aqui no blog.

Os eventos deste ano continuam gratuitos e acontecerão no Rio de Janeiro, no Windsor Atlântica Hotel, localizado na Avenida Atlântica, 1020, no bairro de Copacabana.

No entanto, a participação só estará garantida após a confirmação que enviaremos por e-mail, em data próxima à da realização dos eventos, uma vez que a quantidade de participantes está sujeita à lotação máxima do auditório.

Por isso, não perca tempo e faça logo sua inscrição!

Viés do Otimismo: amanhã será melhor do que hoje?

O Viés do Otimismo (optimism bias) é a tendência a superestimar a probabilidade de eventos positivos e subestimar o risco de ocorrerem eventos negativos em nossa vida. Quando nos projetamos no futuro, temos uma maior tendência a acreditar que seremos ricos e saudáveis do que a pensar que podemos sofrer um acidente, contrair uma doença ou perder o emprego.

Esse viés nos faz acreditar que nosso futuro será melhor do que o passado e que somos mais sortudos do que os outros. Isso faz com que o fumante ache que nunca irá contrair um câncer de pulmão ou que o praticante de esportes radicais pense que sua chance de sofrer uma lesão é pequena, ainda que ambos conheçam bem as estatísticas.

Continue lendo