A Universidade de Princeton recebeu uma doação de 10 milhões de dólares para a criação do “Daniel Kahneman and Anne Treisman Center for Behavioral Science and Public Policy” – um centro para estudo das ciências comportamentais e políticas públicas, criado em homenagem ao Psicólogo, e ganhador do Prêmio Nobel de Economia, Daniel Kahneman e à sua esposa Anne Treisman, professora emérita de Princeton e ganhadora de alguns dos mais importantes prêmios científicos dos Estados Unidos, como a National Medal of Science.

O doador, que prefere permanecer anônimo, é pai de um aluno da universidade, profissional da área financeira e antigo admirador do trabalho do casal. Ele diz que, ao primeiro contato com o trabalho de Treisman, ficou profundamente impressionado com seus insights sobre o modo como a atenção molda a percepção e a psicolinguística. Ele também elogiou o trabalho pioneiro do professor Kahneman e disse esperar que as contribuições do centro de pesquisas possam ajudar a esclarecer questões como a desigualdade de renda e o choque entre culturas.

O diretor do centro de pesquisas já foi escolhido e será Eldar Shafir. Shafir tem o título de “William Stewart Tod Professor of Psychology and Public Affairs”, fez parte de um conselho que assessorava o presidente Obama nas questões sobre educação financeira e é bem famoso na área de Finanças Comportamentais pelo livro “Scarcity: Why Having Too Little Means So Much”. Seus estudos se concentram em compreender como as pessoas tomam decisões em situações de conflito e incerteza, especialmente em contextos de pobreza.

A Woodrow Wilson School of Public and International Affairs, que abrigará o novo centro de pesquisas, tem um longo histórico de iniciativas envolvendo a aplicação das ciências comportamentais às políticas públicas. Nos últimos 15 anos, suas pesquisas englobaram temas que vão da Saúde à Economia Doméstica e incluíram membros de diferentes departamentos, como Psicologia, Economia, Sociologia e Política, entre outros.

Segundo notícia divulgada pela universidade, a abordagem adotada em Princeton sai do tradicional paradigma de que as pessoas tomam decisões totalmente racionais e se concentra em tentar compreender o que realmente influencia a tomada de decisão, estudando a maneira idiossincrática, e por vezes surpreendente, pela qual as pessoas acessam as opções disponíveis, percebem o contexto socioeconômico e político no qual estão inseridas e finalmente decidem se, como e quando agir.

Considerando o vasto histórico de colaborações entre a universidade de Princeton e instituições governamentais e não governamentais de diversos países, é provável que o Centro, que deverá reunir um elenco estelar de pesquisadores, ganhe importância fundamental no sentido de usar os insights comportamentais para a solução de problemas econômicos e sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *