No mês de Maio de 2018, foi publicado pelo Money Advice Service, em parceria com o Behavioural Insights Team (BIT) e o Instituto Ipsos MORI, o relatório “A behavioural approach to managing money: Ideas and results from the Financial Capability Lab [1]”.

O Financial Capability Lab faz parte de um projeto mais amplo, o Financial Capability Strategy, um plano de dez anos desenhado para incentivar uma mudança de hábito na forma como os britânicos gerenciam seu dinheiro.

O Laboratório é financiado pelo What Works Fund que visa desenvolver novas políticas baseadas na ciência comportamental, usando a expertise e o conhecimento da Equipe de Insights Comportamentais (BIT). Algumas ideias foram elaboradas para que se pudesse criar uma lista de projetos e testá-los em campo antes de escalar o seu alcance. Foram criadas mais de 240 novas ideias e o laboratório testou 17 delas. Esta semana, o blog abordará duas das ideias testadas no laboratório e seus resultados, relatando o restante do material em outras publicações.

  1. Entendendo melhor os cartões de crédito

Grande parte de produtos financeiros possuem termos e condições com informações detalhadas. Ao comprar produtos financeiros, consumidores podem se deparar com excesso de informações causando desinteresse, pouca compreensão e confusão.

Simplificação e saliência podem ser ferramentas poderosas para ajudar as pessoas compreenderem as peças-chave de uma informação e para tomarem melhores decisões. Para testar essa ideia foram conduzidos dois experimentos online.

O primeiro teste diagnosticou se consumidores entendem o funcionamento da transferência de dívida de cartões de crédito no momento da operação. Os participantes foram incentivados a acessar o site informacional de pelos menos uma de três provedoras de cartão de crédito que oferecia a transferência de dívida. Os participantes também responderam algumas perguntas para discernir seu entendimento dos custos associados ao procedimento de transferência de dívida.

No primeiro teste, os pesquisados responderam um terço das questões sobre custos associados ao cartão de crédito corretamente, independentemente de qual das três páginas da web eles haviam acessado.

Preocupados que os participantes não entendessem que uma taxa seria cobrada por transferir a dívida de um cartão de crédito antigo para um novo, os pesquisadores deram atenção especial para esta informação. O estudo descobriu que a maioria dos respondentes forneceu resposta incorreta para esta questão, indicando que existe espaço para aumentar a compreensão do consumidor acerca dos custos de transferência de dívida.

Um segundo teste foi realizado a partir da elaboração de duas versões do mesmo site, sem remover informações, porém modificando sua posição para que as informações essenciais fossem apresentadas de forma mais saliente.

As duas versões informadas por insights comportamentais se distinguiam somente na quantidade de fatos apresentado: a primeira versão salientando quatro informações, e a segunda, seis.

Os resultados mostraram que, comparado ao site padrão, os sites informados por insights comportamentais tiveram uma melhora estatisticamente significativa no número de questões respondidas corretamente pelos participantes. Entretanto, não houve diferença significativa entre os sites informados por insights comportamentais.

  1. Melhorando sites de comparação de preços

Os períodos livres de juros nos cartões de crédito são altamente apelativos e chamam muita atenção dos consumidores, enquanto outras funções recebem menos atenção e, portanto, menor pressão competitiva. Consumidores frequentemente exibem excesso de confiança nas suas predições a respeito de seu futuro comportamento financeiro – acreditando, por exemplo, que eles poderiam pagar um débito durante um período promocional livre de juros.

Ofertas introdutórias de períodos livres de taxas de juros podem se tornar problemáticas quando os consumidores não terminam de pagar sua dívida durante o período promocional e, posteriormente, têm o restante do débito mediado por altas taxas de juros. Essa é uma preocupação especial para os consumidores que utilizam o cartão de crédito sistematicamente e pagam o mínimo da fatura, elevando o custo total da dívida e o seu prolongamento.

Dada a importância da informação acerca dos custos totais em decisões financeiras, os cientistas buscaram melhorar a apresentação dessas informações em sites de comparação de preços para ajudar consumidores a escolherem cartões de crédito com menores taxas de juros.

Um experimento online foi testado, onde os participantes, distribuídos aleatoriamente, deveriam acessar a interface de um site de comparação de preços padrão ou outro informado por insights comportamentais, que buscava dar saliência para informações específicas.

Foi examinado se os participantes escolheriam o melhor cartão de crédito entre quatro opções, as quais incluíam cartões com ofertas promocionais de baixas taxas de juros e sem juros. O parâmetro para a melhor escolha dentre as opções de cartão de crédito foi avaliado a partir de dois modelos hipotéticos: 1) indivíduos que sistematicamente pagam o mínimo da fatura e para quem uma taxa promocional introdutória provavelmente seria uma ferramenta negativa; 2) indivíduos que pagam o total da fatura e, potencialmente, obteriam vantagens na taxa promocional introdutória.

A versão melhorada da interface dos sites de comparação de preços melhorou significativamente a habilidade dos participantes de escolherem o cartão de crédito menos custoso, seja para aqueles que pagam o mínimo, seja para aqueles que podem pagar mais.

Sessenta por cento dos participantes na versão melhorada do site de comparação de preços escolheram o cartão mais barato pelo menos uma vez, comparado com apenas 56% dos participantes na versão padrão. Na versão melhorada, 40% dos participantes não pegou o cartão mais barato em ambos os cenários, resultado significativamente menor que os 44% dos participantes da versão padrão.

 

 

[1]: Para acessar o artigo original clique aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *