Como está a performance média do investidor que opera diretamente no mercado de ações brasileiro ?  

Em novembro de 2018, a CVM realizou, na cidade de São Paulo, a IEC -Conferência de Ciências Comportamentais e Educação do Investidor. Este evento anual traz uma série de atividades e palestras sobre estudos comportamentais e educação financeira a fim de aprimorar as ações de proteção e orientação do investidor brasileiro e discutir novas formas de incentivar a formação de poupança no país.

Dentre as palestras, Bruno Giovannetti (EESP-FGV) apresentou o tema “The poor performance of individuals in the Brazilian stock marcket” – “A baixa performance dos indivíduos no mercado de ações brasileiro”.

A pesquisa analisou o comportamento dos investidores individuais, aquele que compra ações em pequenas e médias quantidades. A pesquisa foi dividida em dois blocos principais: buy-to-hold¹ e day-traders².

No grupo buy-to-hold, a base de dados utilizada se constituiu de transações individuais no Brasil de 1 de janeiro de 2012 a 16 de agosto de 2017. Um total de 903.617 pessoas diferentes compraram ou venderam ações nesse período. No grupo day-trade, houve o total de 182.794 diferentes pessoas realizando pelo menos um day-trade no período de 1 de janeiro de 2012 a 16 de agosto de 2017.

O método de cálculo utilizado para mensurar o lucro obtido pelos investidores buy-to-hold foi o excess return, que consiste na diferença entre a taxa de retorno obtida e a taxa esperada pelo mercado. Além disso, as taxas administrativas não foram consideradas, e os preços das ações foram ajustadas pelo dividendo. Na análise, os investidores foram grupados por dia, agregando-se as compras de um indivíduo no dia, e o lucro foi computado, considerando as vendas 5, 10, 20, 40, 60, 80, 100, 120, e 240 dias após o dia em questão.

O método de cálculo realizado para se mensurar o lucro obtido no day-trade foi a simples diferença entre o volume comprado e o volume vendido.

Concluiu-se que a média de indivíduos que operam diretamente no mercado de ações tomaram más decisões e o retorno médio (lucro) foi quase sempre negativo.

Concluiu-se que o lucro médio foi de aproximadamente R$ 60,60 por dia, o que foi considerado quase insuficiente para pagar os custos de transação.

A conclusão final da pesquisa é que o para o indivíduo médio o buy-and-hold tende a gerar perdas antes mesmo de se considerar os custos de transação, já o day-trade gera pequenos lucros, que, contudo, são dizimados pelos custos. Pode-se considerar que operar diretamente no mercado de ações pode gerar perdas e que simplesmente investir em um portfólio de ações bem diversificado é, em geral, uma ideia melhor.

Os vieses comportamentais que podem estar impedindo uma melhor performance são aversão à perda, excesso de confiança, atenção limitada e ancoragem. Vieses esses que geram erros comuns como: pouca diversificação do portfólio, compra de ações em evidencia na mídia e no mercado, preferência por ações que aparentam loteria e ilusão de preço nominal.

¹ buy-and-hold: Investidor que compra ações e a mantém por períodos maiores que um dia.

² day-trader: investidor que compra ações e as vende (em mesma quantidade) no mesmo dia.

Para acessar os slides da apresentação, clique AQUI.

Para mais informações sobre a Conferência acesse o site da IEC BRASIL.

5 thoughts on “Como está a performance do investidor individual no mercado de ações brasileiro ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *