Em 2018, o Behavioral Economics Guide focou em três assuntos de interesse crescente na Economia Comportamental: a imagem social como um preditor subjacente do comportamento humano; a efetividade e as consequências dos contratos de compromisso; e, o papel da falta de atenção nas decisões do consumidor.

Algumas aplicações de ideias acerca desses temas foram expostas nesse guia. Hoje falaremos sobre meios utilizados para incentivar a poupança e encorajar a população a manter esse hábito por tempo suficiente para atingir seus objetivos, uma vez que muitos começam, mas pouquíssimos conseguem atingir suas metas.

É de conhecimento geral que os valores poupados geralmente são baixos. A maioria dos países tem reportado uma poupança média mensal menor que 10% da renda total das famílias, e alguns países – em desenvolvimento e subdesenvolvidos – tendo reportado taxas negativas de poupança (OCDE, 2018).

Richard Thaler, o vencedor do prêmio Nobel de Economia de 2017, e Shlomo Benartzi são famosos por terem criado um programa de pensão que aumentou dramaticamente o número de pessoas que poupavam pensando na própria aposentadoria. Desde então, seu programa “Save More Tomorrow” tem sido adotado por mais de 60% das grandes empresas dos Estados Unidos e tem servido como base para políticas em nível global. Mas, nas palavras de Benartzi, “ainda há muito que ser feito” (Benartzi, 2011).

Para superar a barreira do viés do presente, associada com retiradas antecipadas de poupanças e cancelamento de produtos, pesquisadores da London Economics e da Genesis Analytics desenvolveram incentivos que ajudam o investidor a conectar seu ‘eu do presente’ com seu ‘eu do futuro’.

Como mostrado por Goldstein et al. (2008), tem-se um impulso na melhoria do comportamento de poupança atual das pessoas na medida em que se ajuda a população a entender como os investimentos que eles fazem hoje determinam seu bem-estar futuro.

Para ajudar a conectarem seu ‘eu do presente’ com seu ‘eu do futuro’, os agentes foram treinados para encorajar as pessoas a refletirem sobre porque elas irão precisar dessa reserva no futuro e quais seriam suas metas – como construir uma nova casa ou atingir uma aposentadoria confortável.

Os pesquisadores também trabalharam com o conteúdo do formulário de cancelamento dos produtos. Quando os consumidores começam a preencher o formulário, as primeiras questões apresentadas foram elaboradas para os levarem a pensar no longo prazo: “Qual era o seu objetivo inicial para essa reserva?”, “Esse objetivo ainda existe?”, etc. Descobriu-se que esse tipo de exercício muda comportamentos dramaticamente.

 

  • Alongamento do processo de decisão como ferramenta de mudança

O processo decisório foi estruturado de forma a reduzir a inércia de decisão e pensamento automático. Isso é feito por meio da inclusão de pontos de escolha adicionais ao longo da jornada de tomada de decisão que, sutilmente, encorajam os investidores a reconsiderarem suas decisões.

Essa inclusão de pontos de escolha adicionais foi feita por meio da introdução de procedimentos alternativos que os consumidores precisavam completar como parte do processo de cancelamento de uma aplicação. Eles apresentaram todas as opções disponíveis, expostas de forma a permitir que os clientes selecionassem meios alternativos de acessarem o dinheiro. O processo decisório dos consumidores se tornou mais deliberado e calculado, e eles viram que o cancelamento não era a única opção disponível.

 

  • Utilizando a ancoragem de forma efetiva

Para garantir que a decisão dos investidores de fazer resgates de suas aplicações fosse feita baseada mais na necessidade de se retirar aquele recurso do que na possibilidade de fazê-lo, a pergunta de retirada foi pensada de forma a evitar ancoragem. Isso porque, baseado na natureza da ancoragem, uma vez que o consumidor foi exposto ao valor total que está disponível a ele, se torna difícil encorajá-lo a retirar apenas o que é necessário.

Percebeu-se que dispositivos de comprometimento podem ser bastante impactantes na tarefa de incentivar os investidores a retirar apenas a quantia necessária. A equipe de pesquisadores concluiu que um projeto envolvendo a otimização completa de um processo associado ao cancelamento de investimentos pode ser capaz de aumentar os valores aplicados em 155%.

 

O trabalho mostrou que ao usar conhecimentos comportamentais nos processos de cancelamento é possível ajudar as pessoas a poupar mais para a aposentadoria, educar seus filhos, e, finalmente, alcançar seus objetivos financeiros pessoais.

3 thoughts on “Como dobrar as taxas de poupança!

    1. Muito obrigada pelo comentário, Julia!
      Estamos nos dedicando para continuar desenvolvendo bons trabalhos e nos esforçando para melhorar a cada dia!

  1. Tenho acompanhado sempre as vossas publicações . Acabo de de ler a ultima informação e gostei imenso. Sucessos no programa eu penso por isso invisto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *