Monthly Archives: março 2017

A educação financeira impacta o comportamento financeiro?

Em 2016, Tim Kaiser e Lukas Menkhoff investigaram, através da análise de inúmeros estudos (meta-análise), se a educação financeira seria realmente capaz de influenciar mudanças no comportamento financeiro.

Para os autores, o letramento financeiro funciona como uma espécie de intermediário na influência da educação financeira sobre o comportamento, já que é mais fácil aumentar o nível de conhecimento das pessoas do que provocar mudanças em seu comportamento.

Continue lendo

É Possível Desenviesar o Comportamento dos Apostadores?

Alguns pesquisadores acham que é possível “desenviesar” o comportamento dos apostadores por meio de uma técnica chamada de experiential learning (aprendizado experimental).

Um estudo do Banco Mundial testou a aplicação dessa técnica por meio de um jogo de dados simples, a fim de simular a dificuldade progressiva de tirar somente o número 6 à medida que mais dados iam sendo adicionados ao jogo.

Continue lendo

As Intervenções Precisam Ser Personalizadas: Entrevista com o Dr. Werner DeBondt

O Dr. DeBondt é um dos pioneiros no campo das Finanças Comportamentais. É também Diretor e fundador da Richard H. Driehaus Center for Behavioral Finance na DePaul University, em Chicago, Estados Unidos.

Foi palestrante principal (keynote speaker) na 4ª Conferência de Ciências Comportamentais e Educação do Investidor¹, onde falou sobre Psicologia da Regulação.

Apresentamos a entrevista exclusiva que o Dr. DeBondt concedeu ao CVM Comportamental, assim como o link para sua palestra.

Continue lendo

CVM Comportamental – Vieses do Consumidor: Vieses de Atribuição

Os vieses de atribuição (attribution bias, em inglês) são um conjunto de vieses que explicam erros sistemáticos – que cometemos ao procurar explicações causais para os acontecimentos, seja em relação ao nosso comportamento ou ao alheio.

Na psicologia social, pesquisadores explicam os vieses da atribuição a partir de duas abordagens:

  • Cognitiva: alega que o julgamento que fazemos é distorcido em relação à realidade porque interpretamos as situações do nosso ponto de vista, limitados às informações disponíveis e baseados tanto no estado em que nos encontramos (físico, psicológico, etc.) quanto em nossas experiências passadas;
  • Motivacional: defende que os vieses da atribuição não são falhas no modo de processar as informações, mas que nossa tendência a fazer julgamentos apressados (ou insuficientemente fundamentados) por atribuição ocorre quando somos motivados ou pressionados a decidir.

Continue lendo

Qual o Futuro do Dinheiro? Entrevista com Bill Maurer

Qual o futuro do dinheiro? Será que a moeda física será substituída por meios de pagamento digitais? Para responder a essas e outras perguntas, convidamos o Dr. Bill Maurer para uma entrevista.

O Dr. Maurer é um antropólogo cultural que realiza pesquisas com foco nas infraestruturas tecnológicas e nas relações sociais de troca e de pagamento. Além disso, se interessa por formas emergentes, alternativas e experimentais de moeda, tecnologias de pagamento e suas implicações jurídicas.

Continue lendo