Envelhecer afeta a capacidade de tomar decisões?

A vulnerabilidade financeira é um dos problemas aos quais estamos sujeitos com o envelhecimento. O assunto abrirá o Seminário “Qualidade de vida e bem-estar financeiro para maiores de 50 anos”, a ser realizado pela CVM no dia 7/10, a partir das 8h30, no Rio de Janeiro.

O encontro é gratuito, aberto ao público, e reunirá professores e pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento.

Palestras sobre tomada de decisões no curso de uma demência e sobre violência contra o idoso farão parte da programação da manhã.

À tarde, será realizado um workshop em que grupos de discussão debaterão questões como qualidade de vida e bem-estar financeiro.

A participação no workshop estará sujeita à lotação máxima de 50 pessoas, que serão selecionadas por ordem de inscrição.

Acesse a programação e inscreva-se para debater conosco.

Aguardamos sua presença!

Evento: Seminário Qualidade de vida e bem-estar financeiro para maiores de 50 anos
Data: 7/10
Hora: 8h30 às 16h
Local:
Hotel Windsor (Av. Atlântica 1800, Copacabana – Rio de Janeiro)

 

 

Compartilhe

Conferência de Ciências Comportamentais e Educação do Investidor: Bill Maurer

Bill Maurer é um antropólogo cultural que realiza pesquisas nas áreas de direito, propriedade, dinheiro e finanças, com foco nas infraestruturas tecnológicas e nas relações sociais de troca e pagamento. Além disso, possui experiência específica em formas emergentes, alternativas e experimentais de moeda e finanças, tecnologias de pagamento e suas implicações jurídicas.

Na próxima Conferência de Ciências Comportamentais e Educação do Investidor, irá participar do painel dedicado à Antropologia, programado para o dia 8/12, às 12h, no qual falará sobre Antropologia do Dinheiro, sua especialidade.

Continue lendo

Compartilhe

Vem aí a Conferência de Ciências Comportamentais e Educação do Investidor!

Além dos habituais temas relacionados à educação do investidor e aos estudos comportamentais, os eventos da semana de 5 a 9 de dezembro deste ano tratarão também de novas tecnologias financeiras – conhecidas como Fintech – e incluem a comemoração dos 40 anos da Lei nº 6385/76, que criou a CVM.

Contando com a participação de renomados acadêmicos, pesquisadores nacionais e internacionais, bem como com representantes de órgãos reguladores e autorreguladores, os encontros proporcionarão uma abordagem multidisciplinar, seja nos campos da Psicologia, Economia, Antropologia e Educação, entre outros, assim como o debate sobre estratégias e políticas públicas inovadoras na área da educação financeira.

Continue lendo

Compartilhe

Como Estimular o Investidor a Comparar Produtos e Taxas?

Embora seja comum encontrarmos diferenças significativas de rentabilidade para tipos similares de investimentos, tanto entre instituições financeiras quanto dentro de uma mesma instituição, muitos investidores não costumam comparar taxas, permanecendo longos períodos na mesma aplicação e deixando de ganhar maiores juros.

O que leva o investidor a esse comportamento? Dificuldade de acesso a informações? Exigências burocráticas? Falta de “timing”? Inércia? Continue lendo

Compartilhe

Por que medir a capacidade financeira dos cidadãos?

Desde 2009, os americanos vêm conduzindo levantamentos periódicos, representativos de sua população, para medir a capacidade financeira de seus cidadãos.

O termo “capacidade”, que optamos por traduzir livremente do inglês “capability”, é um conceito multidimensional que abrange tanto o conhecimento quanto a habilidade e tanto o acesso a recursos quanto sua posse.

Assim, medir a capacidade financeira significa saber se as pessoas estão ganhando o suficiente para o próprio sustento; acessando e utilizando corretamente os produtos financeiros; tomando decisões financeiras conscientes e informadas; e planejando seu futuro.

Continue lendo

Compartilhe

O “Penso, logo invisto?” acaba de completar dois anos!

Quando este blog foi criado, em agosto de 2014, nosso principal objetivo era construir um canal de comunicação com a comunidade acadêmica, na esteira da criação, no mesmo ano, do Núcleo de Estudos Comportamentais (NEC) – grupo de professores e pesquisadores que presta assessoria científica à CVM nos estudos e projetos.

Atualmente, o Penso, logo invisto? continua divulgando estudos e pesquisas no âmbito das ciências comportamentais, mas tem se preocupado cada vez mais em fornecer dicas práticas, de interesse de todos os cidadãos, de como aplicar os achados das pesquisas sobre o comportamento financeiro no seu dia-a-dia.

Continue lendo

Compartilhe